chicago-fire-serie

Mais uma saída inesperada em Chicago Fire! Ator quebra o silêncio e indica que decisão não foi sua

Programas com um grande elenco em canais de TV aberta estão acostumados a mudanças de atores, mas o “One Chicago” de Dick Wolf vem passando por muitas despedidas nos últimos anos. Em “Chicago Fire” tivemos a saída de Sylvie Brett após seu casamento com Matt Casey. E recentemente, outra despedida marcante.

Como já havia sido confirmado, Rome Flynn se despediu do seu personagem Derrick Gibson na 12ª temporada de “Chicago Fire. Inicialmente os motivos não foram revelados, mas em uma nova entrevista ao Variety, o ator deu mais detalhes, incluindo uma indicação de que não foi uma decisão pessoal deixar o Esquadrão 51. Confira:

“Assim como todos os fãs, fiquei triste ao ver Gibson partir. Ele era um personagem que eu gostava muito de interpretar. Tive uma experiência maravilhosa durante o meu tempo em ‘Chicago Fire’ e tenho grande respeito pelo elenco e equipe, esperando me juntar a Dick Wolf novamente quando for a hora certa”.

A 12ª temporada de “Chicago Fire” já teve três personagens se despedindo: Blake Gallo (Alberto Rosende), Sylvie Brett (Kara Killmer) e Derrick Gibson (Rome Flynn).

Mas por que a saída de Gibson é tão surpreendente?

Gibson, interpretado por Flynn, apareceu em apenas seis episódios de “Chicago Fire“. Stella Kidd viu potencial nele durante uma chamada de emergência conjunta com o esquadrão de Gibson. Ela o recrutou como substituto de Gallo e, como todo novato no time do Comandante Boden, Gibson teve dificuldades. Mas graças a Sam Carver, que entendia como é se juntar a uma equipe tão unida, as coisas pareciam estar se encaixando para ele. Então, foi um choque quando Gibson anunciou sua saída para lidar com problemas pessoais.

Gibson e Carver eram os substitutos perfeitos para Severide e Casey. Flynn tinha ótima química com o elenco e o personagem era interessante. Sua insinuação de que não foi sua escolha deixar o “One Chicago” levanta questões sobre o motivo de sua saída tão rápida. No mínimo, “Chicago Fire” poderia ter mantido Gibson até o final desta temporada já encurtada.

Isso força o Esquadrão 51 a trabalhar, mais uma vez, com uma equipe incompleta. Uma nova contratação pode acontecer, mas já na reta final da temporada, talvez seja melhor deixar isso para a próxima. Quanto à possibilidade de Flynn voltar a One Chicago, a forma como Gibson saiu deixa portas abertas, mas o histórico da franquia mostra que é improvável um retorno como personagem principal.

Será que veremos mais despedidas na 12ª temporada de Chicago Fire?

Com essa sequência de perdas, ficam as especulações se haverá mais saídas de personagens. “Chicago Fire” já perdeu três – sendo dois deles com papéis importantes no Esquadrão 51. E no universo One Chicago em geral, “Chicago P.D.” está prestes a perder Hailey Upton (Tracy Spiridakos) – deixando a equipe de Hank Voight ainda mais reduzida. No Esquadrão 51, pelo menos o Comandante Boden ainda consegue trabalhar com esse efetivo reduzido. Mas não há garantia de que a temporada termine com a equipe atual.

Há rumores de que Taylor Kinney pode deixar o personagem Kelly Severide em “Chicago Fire“. Isso começou com a licença médica que ele tirou no meio da temporada 11, retornando apenas na estreia da 12. Desde então, parece ter dado um passo para trás no seu papel principal na série. A narrativa também pode estar preparando a saída de Joe Mińoso (Joe Cruz): depois de se tornar tenente interino no Squad enquanto Severide estava fora, Cruz agora busca uma promoção – algo que não poderia conseguir no Esquadrão 51.

O substituto perfeito para Gibson já pode estar em Chicago Fire

Embora as razões por trás da saída de Flynn sejam desconhecidas, “Chicago Fire” talvez não precise procurar muito por um novo integrante. Antes de se juntar ao Esquadrão 51, Gibson trabalhava com Kylie Estevez – uma das primeiras integrantes do programa “Girls On Fire” criado por Stella Kidd. Kylie poderia ter se tornado bombeira do Esquadrão 51 quando entrou para o Corpo de Bombeiros, mas preferiu trilhar seu próprio caminho sem a ajuda do pessoal do Comandante Boden.

Com a saída de Gibson e o time de Kidd incompleto, talvez seja a hora de convencer Kylie a voltar ao Esquadrão 51. Ela é um personagem querido e seria ótimo ter uma figura revelada pelo próprio programa, ao invés de outro novato de fora. Essa é a maneira mais rápida de substituir Gibson sem passar pelas mesmas dificuldades da última contratação.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Magui Schneider

Magui Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.

Fã de filmes e séries investigativos, suspense psicológico, comédias, dramas e ação.

Minhas séries favoritas são La Casa de Papel, The Sinner, Sense8, Stranger Things, O Mundo Sombrio de Sabrina, Black Mirror, Lúcifer, Orange Is The New Black, Vis a Vis, Desejo Sombrio, Três Vidas, entre outras.

Já meus filmes favoritos são Jurassik Park, Bird Box, O Limite da Traição, Imperdoável, entre outros.
Amo os filmes de ação com The Rock.

Para relaxar, gosto de uma boa comédia pastelão, incluindo As Branquelas e Os Farofeiros. E como fã incondicional de Paulo Gustavo, sou muito fã de todos os filmes "Minha Mãe é uma Peça".