viloes-mcu

10 Vilões icônicos do MCU que mereciam mais tempo de tela

A morte precoce de vilões emblemáticos prejudica o MCU a longo prazo. Abaixo, confira os vilões que mereciam mais.

O Universo Cinematográfico Marvel (MCU) brindou o público com vilões memoráveis, mas grande parte deles teve uma passagem relâmpago pela franquia. Matar seus vilões cedo demais se tornou um problema para o MCU pelo seguinte:

  • Poucos antagonistas icônicos restam: Thanos foi derrotado, e Loki teve um arco longo, mas poucos inimigos clássicos sobreviveram o bastante para ganhar destaque.
  • Desenvolvimento prejudicado: Ao contrário dos heróis, vilões acabam sem grandes arcos de redenção ou evolução, impedindo um desenvolvimento gradual e uma construção mais complexa ao longo do tempo.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? Clique Aqui e aproveite!

10 vilões que mereciam mais no MCU

Aqui estão 10 vilões que poderiam ter feito sucesso na tela, mas sua trajetória foi rápida demais:

  1. Ultron (Vingadores: A Era de Ultron): Configurado como uma grande ameaça, suas habilidades digitais possibilitariam seu retorno em tramas futuras e até como aliado temporário de outros vilões.
  2. Mysterio (Homem-Aranha: Longe de Casa): Seu carisma e domínio das ilusões seriam excelentes ingredientes para o Sexteto Sinistro, grupo ansiosamente aguardado pelos fãs.
  3. Gorr, o Carniceiro dos Deuses (Thor: Amor e Trovão): Nos quadrinhos, Gorr afeta profundamente personagens do panteão nórdico. No cinema, apesar da elogiada atuação de Christian Bale, teve impacto passageiro no MCU.
  4. Killmonger (Pantera Negra): Um dos vilões mais complexos do MCU, suas ideias influem ainda hoje nos rumos de Wakanda. Uma relação tensa com Shuri como vivo teria adicionado camadas extras aos conflitos vistos em “Pantera Negra: Wakanda Para Sempre”.
  5. Ulysses Klaue (Pantera Negra): Este traficante de vibranium poderia render grandes reviravoltas, seja confrontando Namor e Talokan ou sendo usado em histórias centradas no Quarteto Fantástico.
  6. Malekith (Thor: O Mundo Sombrio): Vilão esquecível nos cinemas, Malekith possui, nos quadrinhos, relevância crucial no arco dos personagens asgardianos, inclusive nos confrontos com Hércules e Zeus.
  7. MODOK (Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania): Poderia trazer o humor absurdo que faltou a muitos antagonistas. Transformar Darren Cross em MODOK foi uma jogada genial perdida pelo MCU ao descartá-lo.
  8. Wanda Maximoff (Doutor Estranho no Multiverso da Loucura): Sua trajetória conturbada merecia um final mais impactante. Uma morte ambígua e menos genérica seria preferível, abrindo as portas para seu complexo retorno.
  9. Caveira Vermelha (Capitão América: O Primeiro Vingador): Símbolo supremo do Mal (com M maiúsculo!), o Caveira atualiza-se constantemente nos quadrinhos para encarnar as piores faces da filosofia humana. Ele seria valioso para comentários metafóricos sobre eventos reais no MCU.
  10. Karli Morgenthau (Falcão e o Soldado Invernal): Inicialmente intrigante e ambígua, a líder dos Apátridas acabou se tornando estereotipada e seu potencial desperdiçado. Ela traria profundidade aos dilemas de Sam Wilson sobre os limites da função de Capitão América.

A morte precoce de vilões emblemáticos prejudica o MCU a longo prazo. O futuro requer oponentes de peso capazes de carregar um legado. Esperamos que a Marvel reveja essa tendência!

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Magui Schneider

Magui Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.

Fã de filmes e séries investigativos, suspense psicológico, comédias, dramas e ação.

Minhas séries favoritas são La Casa de Papel, The Sinner, Sense8, Stranger Things, O Mundo Sombrio de Sabrina, Black Mirror, Lúcifer, Orange Is The New Black, Vis a Vis, Desejo Sombrio, Três Vidas, entre outras.

Já meus filmes favoritos são Jurassik Park, Bird Box, O Limite da Traição, Imperdoável, entre outros.
Amo os filmes de ação com The Rock.

Para relaxar, gosto de uma boa comédia pastelão, incluindo As Branquelas e Os Farofeiros. E como fã incondicional de Paulo Gustavo, sou muito fã de todos os filmes "Minha Mãe é uma Peça".