The Walking Dead- The Who Live-rick-e-michonne

O que acontece com Rick Grimes e Michonne após o final de The Ones Who Live?

A temporada 1 de “The Walking Dead: The Ones Who Live” chegou ao fim levantando questões sobre o futuro de Rick e Michonne na franquia. Após anos de antecipação, a série finalmente reuniu Rick e Michonne e concluiu seu conflito com o CRM. Mas agora que a luta acabou, seus status na franquia de “The Walking Dead” estão mais uma vez incertos.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? Clique Aqui e aproveite!

O Que os Atores e Produtores de “The Walking Dead” Disseram Sobre o Futuro de Rick & Michonne

Desde o início, havia motivos para suspeitar que “The Walking Dead: The Ones Who Live” seria uma história de várias temporadas, simplesmente por causa da força de seus vilões. Mas, em uma reviravolta interessante no final da temporada 1, Rick e Michonne derrotaram o Exército Republicano Cívico e conseguiram seu final feliz.

Com o Major General Beale morto, Rick e Michonne de volta para casa, e a República Cívica reformada, a temporada 2 de “The Ones Who Live” não parece mais uma necessidade, tornando o que vem a seguir para Rick e Michonne ainda mais misterioso.

A Temporada 1 de “The Ones Who Live” Parece um Final Definitivo Para Rick & Michonne

A temporada 1 de “The Ones Who Live” pode não ser necessariamente a última vez que Rick e Michonne são vistos na tela, mas pareceu um capítulo final nas histórias de ambos os personagens. Curiosamente, o episódio começou a transmitir essa ideia mesmo antes da morte do Major General Beale e da derrota do CRM acontecerem.

Rick e Michonne revivendo momentos importantes de suas vidas no universo de “The Walking Dead” pareciam precursores para o fechamento definitivo de suas trajetórias, não muito diferente de como o final da série “The Walking Dead” apresentou referências ao passado antes de amarrar sua narrativa.

A natureza do final adicionou ainda mais à sensação de finalidade. Ambos tiveram suas trajetórias resolvidas, com Rick finalmente conhecendo RJ e reencontrando Judith. Depois de anos separado de sua família, Rick conseguiu voltar para casa, assim como Michonne.

Além disso, a maior ameaça deles foi desmantelada. A República Cívica agora está sob nova liderança. E isso, representa um desenvolvimento massivo considerando que o CRM era o principal candidato a ser o vilão de um crossover de “The Walking Dead“.

Rick Grimes Ainda Tem Assuntos Inacabados em “The Walking Dead”

Embora os objetivos originais de Rick e Michonne em “The Walking Dead: The Ones Who Live” tenham sido concluídos e suas principais pontas soltas da série principal estejam agora amarradas, isso não significa que a franquia não tenha motivos para trazê-los de volta.

Afinal, a franquia ainda precisa oferecer pelo menos duas reuniões para Rick Grimes. Uma delas é com Morgan Jones, que anunciou sua intenção de encontrar Rick em seu último episódio de “Fear the Walking Dead“. O cenário claramente preparou o caminho para Rick e Morgan se unirem novamente no universo de “The Walking Dead“.

Há também a questão de Daryl. Após o desaparecimento de Rick, não houve personagem em “The Walking Dead” que tenha passado mais tempo procurando por ele do que Daryl – nem mesmo Michonne. Seus esforços para encontrar Rick, combinados com a longa construção da 11ª temporada para Daryl descobrir que Rick ainda está vivo, criaram uma expectativa para um reencontro eventual.

Não ver Rick e Daryl compartilhando a tela novamente seria uma grande decepção. Tornando-o ainda mais necessário está o papel que Daryl desempenhou na criação dos filhos de Rick. Algum nível de apreço pelo que Daryl fez por Judith e RJ precisa ser expresso por ambos os pais.

Além dos personagens que Rick ainda precisa encontrar após “The Walking Dead: The Ones Who Live“, ele também precisa abordar o que Beale disse a ele sobre o futuro limitado da humanidade. Segundo Beale, a humanidade tem apenas cerca de 14 anos restantes.

Para garantir um futuro para seus filhos, Rick provavelmente precisará trabalhar ao lado de Michonne – e talvez da República Cívica – para garantir que a civilização sobreviva aos desafios que estão por vir.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Magui Schneider

Magui Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.

Fã de filmes e séries investigativos, suspense psicológico, comédias, dramas e ação.

Minhas séries favoritas são La Casa de Papel, The Sinner, Sense8, Stranger Things, O Mundo Sombrio de Sabrina, Black Mirror, Lúcifer, Orange Is The New Black, Vis a Vis, Desejo Sombrio, Três Vidas, entre outras.

Já meus filmes favoritos são Jurassik Park, Bird Box, O Limite da Traição, Imperdoável, entre outros.
Amo os filmes de ação com The Rock.

Para relaxar, gosto de uma boa comédia pastelão, incluindo As Branquelas e Os Farofeiros. E como fã incondicional de Paulo Gustavo, sou muito fã de todos os filmes "Minha Mãe é uma Peça".