Fugindo do Twin Flames

Fugindo do Twin Flames: História Real Por Trás do Documentário Netflix

A série documental Fugindo do Twin Flames nos leva a uma jornada perturbadora através do Universo das Chamas Gêmeas, um grupo que se autodenomina um reality show espiritual terapêutico. Liderado por Jeff e Shaleia Ayan, o grupo se envolve em práticas que alguns ex-membros alegam ser de caráter seita. Vamos adentrar esse universo e entender as controvérsias que o cercam.

O conceito de “chamas gêmeas” tem ganhado força, tornando-se um ponto central do Universo Twin Flames. Segundo os Ayans, trata-se de encontrar uma conexão espiritual profunda com uma alma complementar, que perdura por várias vidas. A ideia atrai cada vez mais adeptos, impulsionada pela disseminação massiva nas mídias sociais e na cultura atual.

A Ascensão do Twin Flames Universe

Jeff e Shaleia Ayan iniciaram sua jornada online em 2012, compartilhando vídeos sobre seu relacionamento e espiritualidade. O Twin Flames Universe surgiu como um projeto para ajudar as pessoas a encontrar o amor verdadeiro. Enquanto para Shaleia era uma oportunidade de compartilhar práticas espirituais, para Jeff representava também um empreendimento lucrativo.

Dentro do Universo Twin Flames, existe uma série chamada Twin Flame Ascension School, que opera como um reality show terapêutico. Os membros pagam por assinaturas dessas aulas, gravadas para futuras visualizações. O modelo de negócio é escalável ao infinito, o que gera controvérsias sobre seus propósitos reais.

A Manipulação das Relações

O Twin Flames Universe não apenas oferece orientação espiritual, mas também dita as dinâmicas das relações entre seus membros. Através do “Exercício do Espelho”, os Ayans promovem a responsabilidade própria em detrimento de culpar os outros. Isso pode levar à perda de noção da realidade e da própria identidade.

O grupo prega a existência de “divino masculino” e “divino feminino” em cada par, gerando pressões sobre as orientações sexuais e identidades de gênero dos membros. Muitos se sentem compelidos a reconsiderar suas atrações e identidades, o que gera tensões e dilemas emocionais.

O Crescimento e a Controvérsia

Em suma, o Universo Twin Flames cresceu exponencialmente, atraindo milhares de membros. No entanto, a série documental revela as controvérsias e danos causados por esse grupo, levantando questionamentos sobre sua verdadeira natureza e motivações.

Fugindo do Twin Flames não é apenas um olhar sobre um grupo específico, mas um alerta sobre como a busca espiritual pode ser explorada e desviada para propósitos questionáveis. Ao mergulhar nesse universo, somos confrontados com a complexidade das dinâmicas de poder e manipulação que permeiam a espiritualidade contemporânea. É uma chamada à reflexão sobre a necessidade de discernimento e crítica diante das ofertas espirituais da atualidade.

Por fim, vale ressaltar que a série documental vai estrear na Netflix em 08 de novembro.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Magui Schneider

Magui Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.

Fã de filmes e séries investigativos, suspense psicológico, comédias, dramas e ação.

Minhas séries favoritas são La Casa de Papel, The Sinner, Sense8, Stranger Things, O Mundo Sombrio de Sabrina, Black Mirror, Lúcifer, Orange Is The New Black, Vis a Vis, Desejo Sombrio, Três Vidas, entre outras.

Já meus filmes favoritos são Jurassik Park, Bird Box, O Limite da Traição, Imperdoável, entre outros.
Amo os filmes de ação com The Rock.

Para relaxar, gosto de uma boa comédia pastelão, incluindo As Branquelas e Os Farofeiros. E como fã incondicional de Paulo Gustavo, sou muito fã de todos os filmes "Minha Mãe é uma Peça".