uma-familia_quase_perfeita

Uma Família Quase Perfeita: História Real Por Trás da Série

Ambientada na cidade de Lund, Uma Família Quase Perfeita é uma nova produção Netflix que relata uma complexa trama.

Os thrillers psicológicos têm o poder de proporcionar experiências cinematográficas cativantes, envolvendo o público com tramas intricadas e a exploração de emoções humanas complexas. A série limitada da Netflix, Uma Família Quase Perfeita, se destaca como um exemplo brilhante desse gênero, superando as expectativas com sua narrativa envolvente.

A trama se desenrola com Stella Sandell, uma jovem de 19 anos, acusada do assassinato de Christoffer “Chris” Olsen, um homem na faixa dos 30. Proveniente de uma família abastada, os pais de Stella, Adam, um pastor na Igreja da Suécia, e Ulrika, uma renomada advogada de defesa criminal, correm para ajudá-la na cidade de Lund.

Dirigida por Per Hanefjord, a série mergulha nas dinâmicas familiares, nas intricadas questões legais e nas misteriosas circunstâncias que cercam o assassinato de Chris, criando uma narrativa atmosférica e cheia de suspense que mantém os espectadores à beira de seus assentos. À medida que a história se desenrola em um cenário criminal, surge a curiosidade sobre a possível história real que inspirou a criação da narrativa da série.

Explorando a Inspiração por Trás de Uma Família Quase Perfeita

Embora a série Uma Família Quase Perfeita possa parecer uma representação autêntica dos eventos, ela não se baseia em uma história real. Os habilidosos roteiristas Anna Platt e Hans Jörnlind criaram o roteiro inspirados no livro de 2019 do autor sueco M.T. Edvardsson, que leva o mesmo título.

O romance recebeu aclamação generalizada como um thriller psicológico, conquistando seu lugar como uma joia literária. O sucesso do trabalho de Edvardsson lançou as bases para a criação desta excepcional série de TV, mostrando o impacto poderoso que a literatura pode ter em diferentes áreas da narrativa.

Durante uma entrevista, Edvardsson compartilhou a intrigante origem de seu trabalho, revelando que a faísca para a história surgiu durante uma noite solitária de contemplação. O escritor contou como a ideia inicial se materializou enquanto estava na cama, ponderando sobre a trajetória hipotética das pessoas ao navegar pelas complexidades da vida adulta e, inevitavelmente, se verem envolvidas em problemas. A curiosidade do autor foi despertada pela pergunta de como alguém reagiria ao enfrentar a adversidade depois de crescer.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? Clique Aqui e aproveite!

“Tenho duas filhas, de três e seis anos, e comecei a pensar em uns 10 anos ou mais, quando minhas filhas estarão saindo com amigos, indo ao centro da cidade, etc. Acho que todo pai pode se relacionar com o medo de não saber quando seu filho está voltando para casa. Então, imaginei minha futura filha adolescente chegando em casa muito depois da meia-noite e eu tendo a sensação de que algo está errado”, disse Edvardsson sobre a origem de seu romance.

“Se minha filha fosse trazida pela polícia na manhã seguinte, acusada de assassinar um homem, o que eu diria? Como eu reagiria? Até que ponto eu iria esticar a verdade para proteger minha filha?” acrescentou. Ele adicionou que sua experiência como professor do ensino médio definitivamente o ajudou a integrar autenticidade aos personagens, especialmente Stella.

Ele disse: “Acho que nunca poderia ter escrito este livro se não fosse pelo fato de eu ter sido professor do ensino médio por 15 anos. Eu sei como as garotas de 18 anos interagem – eu conheço o mundo delas, e também sei que pais e adolescentes nem sempre compartilham tudo um com o outro. Em alguns casos extremos, parece que eles realmente não se conhecem muito bem. Isso é algo que eu queria examinar mais de perto neste romance: o quanto realmente conhecemos nossos adolescentes?

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Magui Schneider

Magui Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.

Fã de filmes e séries investigativos, suspense psicológico, comédias, dramas e ação.

Minhas séries favoritas são La Casa de Papel, The Sinner, Sense8, Stranger Things, O Mundo Sombrio de Sabrina, Black Mirror, Lúcifer, Orange Is The New Black, Vis a Vis, Desejo Sombrio, Três Vidas, entre outras.

Já meus filmes favoritos são Jurassik Park, Bird Box, O Limite da Traição, Imperdoável, entre outros.
Amo os filmes de ação com The Rock.

Para relaxar, gosto de uma boa comédia pastelão, incluindo As Branquelas e Os Farofeiros. E como fã incondicional de Paulo Gustavo, sou muito fã de todos os filmes "Minha Mãe é uma Peça".