Crítica e Resumo do filme Coringa (entenda a trama)

Resumo do filme Coringa e crítica: Entenda a trama de uma vez por todas

A Globo passou na noite desta quinta (13) o clássico dos cinemas, Joker. O filme lançado em 2019 foi um grande sucesso de bilheteria, e ganhou dois Oscar e dois Globos de Ouro. Se você quer entender melhor o filme, confira a nossa crítica e o resumo do filme Coringa.

O resumo do filme Coringa gira em torno do icônico arqui-inimigo do Batman, e é uma história original e autônoma, nunca vista antes nos cinemas. A exploração de Arthur Fleck (Joaquin Phoenix), um homem desconsiderado pela sociedade, não é apenas um estudo de caráter corajoso, mas também um conto de advertência mais amplo.

Aviso: Este artigo conterá spoilers do filme “Coringa”. Recomendamos que você assista antes de ler este artigo.

LEIA TAMBÉM

Elenco do filme Coringa

  • Joaquin Phoenix como Coringa
  • Robert De Niro como Murray Franklin
  • Zazie Beetz como Sophie Dumond
  • Francis Conroy como Penny Fleck

Resumo do filme Coringa

Coringa gira em torno de Arthur Fleck e como a sociedade o rejeita várias vezes. Ele vai de tentar se encaixar para se tornar um pária contra desafiar probabilidades e através de meios violentos.

Depois que Arthur é demitido do seu emprego de palhaço, ele pega um metrô de volta para seu apartamento, ainda vestindo sua roupa de trabalho. No trem estão três homens jovens e ricos, que parecem um pouco embriagados. Arthur, a partir do choque de perder sua principal fonte de renda, começa a rir incontrolavelmente, enquanto lágrimas escorrem pelo seu rosto. O trio de jovens começa a assediá-lo e espancá-lo.

Resumo do filme Coringa: Arthur assassina os três jovens

Arthur está no chão sendo chutado quando, de repente, um dos homens é baleado na cabeça. Arthur conseguiu sacar sua arma. Uma vez que o primeiro homem foi alvejado, Arthur começa a atirar no próximo, que tenta desarmá-lo, mas falha. O terceiro cara foge, mas Arthur não tem misericórdia.

Quando o trem para, o homem tenta fugir, mas é baleado enquanto corre em direção às escadas do metrô. Ele está rastejando para escapar, quando Arthur atira fatalmente nas costas dele. Imediatamente percebendo o que ele fez, Arthur foge e se esconde em um banheiro público. Para recuperar seu centro, ele faz uma delicada coreografia. (curiosidade: esta cena de dança foi totalmente improvisada por Joaquin Phoenix.)

O tiroteio choca a cidade. Testemunhas dizem que um homem vestido de palhaço matou os três homens. Os três trabalhavam para o bilionário Thomas Wayne (Brett Cullen), pai de Bruce Wayne. Wayne, irritado com as mortes, afirma na TV ao vivo que tal assassino só poderia ser um palhaço covarde infeliz.

Movimentos dos palhaços em Gotham

Isso obviamente não é bem recebido pela comunidade mais pobre de Gotham, que parece ser a maioria da cidade. Na verdade, é tão mal recebido que os mais pobres começam a idolatrar o palhaço assassino; o movimento dos palhaços é a Revolução Francesa da cidade, e a matança dos ricos começa.

Arthur quer escapar do caos que criou, tentando seguir sua carreira de stand-up. Durante seu primeiro show, no entanto, sua doença do riso é desencadeada por uma crise de nervos. O apresentador de talk show favorito de Arthur, Murray Franklin (Robert De Niro), consegue encontrar uma gravação de seu ato e começa a zombá-lo profusamente em seu show, como parte de sua abertura. Isso esfaqueia o coração de Arthur; seu ídolo esmagou seus sonhos de ser um comediante.

Resumo do filme Coringa: Descoberta do seu passado

A partir daqui, Arthur eventualmente começa a descobrir seu passado. Toda a sua vida, ele nunca conheceu seu pai. Uma noite, ele lê uma carta não vista de sua mãe, o que o leva a acreditar que ele é filho de Thomas Wayne. A mãe de Arthur já trabalhou na Propriedade Wayne, e afirma que ela e Thomas tiveram um caso.

Então, depois que Arthur o confronta em um banheiro, Thomas Wayne diz a Arthur que ele não é de fato seu pai. Além disso, ele conta para Arthur que ele é adotado, e que sua mãe é uma doente mental delirante. Obviamente, isso perturba Arthur. Depois de uma visita ao Hospital Arkham, ele descobre que sua mãe realmente o adotou e tinha Transtorno de Personalidade Narcisista, bem como casos de psicose e alucinações.

Relação com Sophie é uma alucinação de Arthur

Ela também permitiu que um de seus namorados abusasse repetidamente de Arthur, presumivelmente causando seus transtornos mentais. Em um momento de colapso, Arthur visita o apartamento de Sophie. Mas quando Sophie o vê, descobrimos que Arthur alucinou toda a sua relação com ela. Neste ponto, Arthur não tem mais nada na vida, levando-o a matar sua mãe; sua transformação em Coringa está quase completa. Este é um momento poderoso.

Antes deste ponto, toda vez que Arthur ria devido à sua condição, não era por felicidade. Agora, depois de “recuperar” (leia-se: perder) sua identidade, ele ri porque se sente bem consigo mesmo (gravemente doente mental).

Convite para participar do programa de Murray

No dia seguinte, Arthur recebe uma ligação do escritório de Murray. Seu stand-up foi um grande sucesso. Por isso, ele é convidado por Murray para uma entrevista na TV. Arthur aceita e decide que sua aparição no Murray Franklin Show será sua última. Ele planeja como vai se matar na TV ao vivo, pensando em todos os movimentos, desde o momento em que ele entra no palco até o segundo que ele puxa o gatilho.

Neste momento, sua transformação como Coringa está completa. Ele decide ir ao programa vestido de palhaço. Surpreendentemente, Murray concorda com isso, esperando que Coringa, vestido como os palhaços que tomaram as ruas, traga algum tipo de diversão para o público.

Obviamente, isso não é nada do que acontece. Coringa admite em frente as telas que matou os três jovens e acusa Murray e Thomas Wayne de serem igualmente maus por sua atitude em relação aos menos afortunados. Depois de um pequeno monólogo, Coringa mata Murray na TV, ao vivo. Logo depois, ele é preso e na cena final, o vemos correndo em torno de uma ala psiquiátrica.

Crítica do filme Coringa

Sombrio, deprimente e perturbador, Coringa é tudo o que promete ser — exceto tão imprevisível quanto seu personagem principal. Com uma performance imersiva e digna de prêmios de Joaquin Phoenix, e um retrato sombrio e fundamentado de um dos vilões fictícios mais famosos do mundo, o escritor e diretor Todd Phillips permite que o público entre na sombria e deprimente descida à loucura diante de Arthur Fleck.

Sofrendo de doenças mentais sérias e marginalizado por uma sociedade que já está em decomposição, Fleck é quase um personagem lamentável, mas, um pelo qual você quase sente compaixão, até se lembrar o quão depravado ele realmente é. Phillips, mais conhecido por fazer comédias, entra no personagem, disposto a torná-lo o protagonista sem se desculpar, ou defender, seu comportamento.

A pequena presença de Bruce Wayne

Embora inerentemente a história do Batman, Bruce Wayne tem uma pequena presença. Mas apenas quando criança – Coringa – é melhor observado como um drama psicológico. Não há capas ou tramas maníacas, e certamente nenhum herói aqui. Apenas Fleck e sua mente distorcida.

No centro de tudo está Joaquim Phoenix, agindo como se não houvesse mais ninguém no palco — e muitas vezes não há. Phoenix, magro, ao ponto de parecer doente, aparentemente distorcido, tanto fisicamente quanto mentalmente, entrega uma performance fantástica, se divertindo.

Ademais, é difícil, e injusto, comparar o Coringa de Phoenix com outros Coringas antes dele. De Jack Nicholson a Heath Ledger, passando por Jared Leto, cada um desempenhou o papel de uma maneira diferente, e adequado para o seu filme. Enfim, o Coringa de Phillip é um drama sobre um mundo enlouquecido, pela corrupção e ódio, e um homem que se vê no meio disso tudo. Ademais, o retrato de Phillip de uma Gotham desintegrada é uma das melhores representações da cidade até agora.

As falhas do filme Coringa

A única decepção real é que, para um personagem tão imprevisível — e verdadeiramente, o Coringa é uma narrativa não confiável, pois muitas vezes não está claro exatamente o que é real e o que está em sua cabeça. Coringa é, em grande parte previsível. Os choques não são totalmente inesperados, os desenvolvimentos da trama só antecipavam.

Talvez o filme seja vítima do fato de que, mesmo que esta história seja destinada a ser uma desconectada independente, e não dependente de qualquer enredo do Batman, é de fato uma história de origem do Coringa. E as histórias de origem de Coringa podem ir em muitas direções.

Coringa é um drama satisfatoriamente perturbante, que merece atenção, mesmo sem a performance transformadora de Phoenix. Sua história se desenrola em grande parte do jeito que você espera, uma pena, mas, novamente, o filme é mais sobre o funcionamento interno do cérebro de um psicopata, e não sobre os eventos que o cercam.

Enfim, curtiu a crítica e o resumo do filme Coringa?

Então, siga a gente no Google News. Além disso, convidamos você a nos seguir nas redes sociais TwitterInstagram e Facebook para ficar por dentro de tudo que rola no mundo das séries e filmes.

Priscilla Kinast

Priscilla Kinast

Priscilla é redatora de web sites há cerca de 8 anos, tendo ao todo 15 anos de experiência com produção de conteúdo para a internet. Graduada em Administração de Empresas (Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre), encontrou sua verdadeira paixão na administração de websites. Devido sua experiência com redação de conteúdo, obteve registro profissional como jornalista pelo Ministério do Trabalho (Registro Profissional: 0020361/RS).

Apaixonada por séries e filmes de ficção científica, suspense psicológico, dramas e comédias.
As séries favoritas são Sense8, Black Mirror, Orphan Black e The 100. E para além das ficções, gosto também de Orange Is The New Black, How I Met You Mother, Grey's Anatomy, Breaking Bad, Anne with an E, entre outras.
Já no que se trata de filmes, os melhores em sua opinião são Interestellar, Efeito Borboleta, Matrix, A Ilha do Medo, Projeto Almanaque, Onde Está Segunda, Eu Sou a Lenda, etc.