TWD-1

As mortes mais marcantes em The Walking Dead

Uma lista com as mortes mais marcantes de The Walking Dead, série da AMC que chegou ao fim depois de 12 anos em exibição.

Atenção! O texto a seguir contém spoilers de The Walking Dead!

The Walking Dead chegou ao final depois de doze anos em exibição na AMC. No Brasil, a série sempre foi ao ar pelas mãos da Fox. Quando adquiriu a empresa, a Disney passou os direitos da produção para o serviço de streaming Star+. Assim, todos os episódios da trama podem ser encontrados por lá.

Ao longo dos anos (e de onze temporadas), The Walking Dead sempre emocionou os fãs com a morte de personagens principais. Embora tenha diminuído o ritmo desde o arco do Negan, a série ainda conduziu despedidas importantes até o último episódio, que foi ao ar no último domingo, dia 20.

Portanto, escolhemos algumas mortes marcantes para os fãs de The Walking Dead. A lista encontra-se em ordem de acontecimento, com mais de uma vítima por temporada. Confira:

+ Quer assistir HBO Max e a plataforma Paramount+ de graça por até 1 mês? Clique Aqui e aproveite!

As mortes mais marcantes de The Walking Dead

A série The Walking Dead ficou marcada por representar muitas mortes. Assim, além das nove despedidas selecionadas, deixamos o destaque para Andrea, Lizzie, Beth e Sasha. Claro, Rick e Michonne não entram na lista. Ambos apenas deixaram a série ao longo das últimas temporadas, mas os personagens não morreram.

Sophia (2ª temporada)

The Walking Dead até apresentou outras mortes antes, como Amy e Jim. Contudo, a despedida de Sophia foi a primeira grande dor que o fã da série sofreu. Ao longo da 2ª temporada, Rick e companhia procuraram a jovem Sophia, filha de Carol. Ela desapareceu depois que o grupo cruzou com uma horda de zumbis na estrada. Contudo, as esperanças acabaram quando Shane abriu a porta do celeiro do Hershel e todos assistiram-na caminhando, transformada em zumbi, em direção à Carol.

Dale (2ª temporada)

Episódios depois, The Walking Dead mostrou a morte de Dale. O então líder do grupo morreu depois de discutir com todo mundo na casa de Hershel. Ele queria que os integrantes voltassem a ficar unidos como antes, mas criando problemas com Shane. Assim, ele caminha pela fazenda quando foi surpreendido por um morto que passeava pelo local. Quando o encontram, Daryl dá o disparo para poupá-lo da dor. Uma cena que emocionou a todos na época.

Lori (3ª temporada)

Na terceira temporada, o grupo, agora liderado por Rick Grimes, encontra a prisão onde decidem instalar-se. Com um clima ruim depois das perdas recentes, eles passam a cultivar o local como um promissor lar. Contudo, um grupo de detentos arma uma embosca e dispara os alarmes, causando um ataque de mortos no local. Para piorar, Lori entra em trabalho de parto, mas não resiste à operação. A reação do Rick emociona os fãs até hoje, ainda mais que ambos não estavam em uma boa relação.

Merle (3ª temporada)

A morte de Merle em The Walking Dead não é emocionante em si. Contudo, a reação de Daryl Dixon mexeu com os sentimentos de todos os fãs. Ao encontrar o irmão mais velho como zumbi, Daryl cai em lágrimas com uma sensação de tristeza e revolta. O ator Norman Reedus entregou tudo em cena, causando o desespero de quem assistia à série.

Hershel (4ª temporada)

Na 4ª temporada, Hershel foi o responsável por tratar uma epidemia que se instaurou na prisão. Assim, o veterinário se expôs à doença, uma espécie de gripe, e ajudou a curar cada uma das pessoas. Como um verdadeiro herói, ele atuou com amor e solidariedade. Qual foi a recompensa? Uma morte marcante e brutal. Episódios depois, Hershel foi sequestrado pelo Governador. Depois de ouvir o discurso de Rick e chamá-lo de “mentiroso!”, o vilão desferiu um golpe de espada e arrancou a cabeça de Hershel. A cena partiu o coração das filhas Maggie e Beth e dos fãs também.

Abraham e Glenn (7ª temporada)

The Walking Dead só voltou a emocionar de verdade na sétima temporada. Com uma morte dupla, Negan assassinou Abraham e Glenn. O último, inclusive, um dos personagens favoritos de toda a série. Para mostrar poder e dominação, o vilão empunhou Lucille, um taco de basebol envolto com arame farpado, e esmagou o crânio dos dois personagens. A cena tornou-se um dos momentos mais emblemáticos da televisão. Assim, algumas pessoas falam que este foi o último grande ato da série, que caiu em um mar de problemas a partir da sétima temporada.

Carl (8ª temporada)

Na oitava temporada, Carl Grimes teve um episódio focado só para si. Desde o início, preparou o terreno de forma madura para o confronto contra Negan. O garoto conseguiu salvar todas as pessoas de Alexandria e as escondeu no subterrâneo. Depois do alívio, a série mostrou que Carl não conseguiu salvar a si próprio. The Walking Dead revelou, então, que o garoto havia sido mordido para salvar Siddiq. Assim, ele se despediu como um verdadeiro herói.

Enid, Tara e Henry (9ª temporada)

Enid, Tara e Henry representam as dez cabeças que Alpha colocou em estacas durante a 9ª temporada. As mortes em si não emocionaram tanto em The Walking Dead, mas o método chocou. Ao enfrentar Alexandria, Reino e Hilltop, a líder dos Sussurradores infiltrou-se nos grupos e sequestrou dez pessoas. A intenção dela era alertar para os limites os quais cada comunidade precisava respeitar. Assim, os personagens depararam-se com cabeças conhecidas cravadas em estacas.

Rosita (11ª temporada)

Por fim, Rosita foi a última grande morte de The Walking Dead. Ela cai enquanto tenta salvar a filha da horda de mortos que invade Commonwealth. De início, ela parece segura. Contudo, Rosita revela para Eugene uma pequena mordida em um local sem salvação. Assim, ela despede-se de cada personagem ao final da trama.

Gostou do nosso conteúdo? Então, acompanhe a gente no Google News e não perca uma matéria do nosso site.

Victor Eduardo

Victor Eduardo

Victor Eduardo é jornalista formado pela PUC do Rio Grande do Sul desde agosto de 2021! Ao todo, tem experiência em reportagem, comunicação institucional e assessoria de imprensa. Atualmente, divide o tempo de trabalho com a leitura e com a cozinha, hobby que desenvolveu durante a pandemia por Covid-19. Atua como jornalista sob o registro profissional 20810/RS.