Por que é moda a morte do protagonista de série?

Muitas produções não têm problemas em matar o personagem central.

Já passou o tempo em que o protagonista de uma série era um ser intocável e sua morte fosse improvável. Durante anos, quem assistia a um programa de televisão sabia que o personagem central jamais morreria. Em suma, cada protagonista era protegido pelo “poder do roteiro”. Contudo, os últimos anos mostraram uma inversão na proposta e, hoje, as séries não têm problemas em fazer uma mudança tão importante.

Na primeira temporada de Game of Thrones, Ned Stark foi o grande protagonista da série, e mesmo assim a HBO não teve medo de adaptar a morte do personagem logo nos primeiros episódios da série. Algo que voltou a se repetir algumas vezes no futuro.

Em suma, o protagonista é o responsável por conduzir a trama da série. Ninguém imagina Stranger Things sem Eleven, certo? Assim como ninguém imaginava The Walking Dead sem Rick Grimes. Mesmo assim, o personagem deixou a série anos antes do fim. Algo que ajuda a explicar um dos problemas na morte do protagonista de uma série.

the walking dead rick grimes
Imagem: Netflix.

+ Quer ganhar um teste grátis de 1 mês no UOL PLAY?  e aproveite!

Por que matar o protagonista da série pode ser algo bom?

Matar o protagonista da série pode ser algo bom para o roteiro e para a prosperidade da trama. Em Game of Thrones, por exemplo, o papel de Ned Stark encerrou-se ao longo da primeira temporada. A morte do personagem gerou mais conflitos e viabilizou outros arcos. Algo importante para a ascensão dos Lannister, de Tyrion, de Jon Snow e, de certa forma, de Daenerys Targaryen.

Portanto, o choque da morte do protagonista da série ajudou em manter os sentimentos vivos por Game of Thrones. Além disso, a despedida de Ned Stark também foi o grande catalisador que ajudou a HBO a anunciar o que poderia acontecer em temporadas seguintes.

A série Breaking Bad, por exemplo, utilizou a morte do protagonista Walter White para cumprir o principal arco da série. Com um final distante do tradicional, a produção eternizou o personagem central com o desfecho mais próximo do que a trama pedia, um roteiro amargo.

Apesar disso, acabar com o protagonista da série pode evidenciar outros problemas. Algo que The Walking Dead ajuda a explicar. Em suma, o elenco de apoio precisa corresponder às expectativas e assumir um novo papel. Algo que nem sempre acontece.

Elenco de apoio precisa corresponder

Os fãs de The Walking Dead ficaram órfãos de protagonista quando a série viveu a morte de Rick Grimes e Michonne. Depois que ambos deixaram a produção, o programa não conseguiu elevar os personagens de apoio ao mesmo patamar. Por mais que tentassem, Carol e Daryl não foram capazes de preencher o vazio deixado pelos protagonistas.

Além disso, The Walking Dead também foi incapaz de criar novos vínculos com o público. Boa parte dos personagens que terminaram a série não estavam no começo de tudo, com pouca amostragem para gerar sentimento e empatia.

Isso originou uma falta de rumo para a série. The Walking Dead não conseguiu criar novos protagonistas, algo que prejudicou a audiência das temporadas finais. Em 2022, a HBO Max estreou a adaptação The Last of Us. Para quem já conhece o game, a série precisará lidar com o mesmo problema na segunda temporada. Se seguir fiel aos jogos, claro.

Cada vez mais as séries estão perdendo o medo da morte de protagonista. Millie Bobby Brown já se manifestou algumas vezes sobre o que quer assistir em Stranger Things. A atriz inclusive usou o exemplo de Game of Thrones para defender o argumento de que a série da Netflix precisa de mais mortes importantes.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Você pode cancelar, se desejar. Aceitar