filmes-terror-marco

Este é o momento mais aterrorizante de qualquer filme de terror

O elemento surpresa e a aparição chocante do vilão foram o que elevaram a cena a novos patamares de terror.

Ao definir o momento mais assustador de um filme de terror, vários fatores entram em jogo. De uma criatura sanguinária escondida no fundo à sobressaltos calculados, aterrorizar é uma arte diversificada. Contudo, os sustos mais eficazes frequentemente são os mais simples e os que ficam com você após o fim do filme. A clássica obra de terror de Tobe Hooper, “O Massacre da Serra Elétrica”, de 1974, é um exemplo magistral disso. Neste artigo, focaremos em uma cena particular que destaca o aterrorizante tom do filme.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? Clique Aqui e aproveite!

Leatherface e Sua Aterrorizante Cena de Introdução

Um filme de terror precisa de um antagonista, podendo este ser um fantasma, um espírito, um objeto, ou, no caso de “O Massacre da Serra Elétrica”, um homem. Leatherface, interpretado por Gunnar Hansen, se tornou rapidamente um dos vilões favoritos do público. Ele é assustador, brutal e, o mais aterrorizante, tão humano quanto qualquer um. Sua cena de introdução no filme proporciona um momento de terror inesquecível.

A cena começa de forma simples, com um grupo de jovens viajantes, com pouco combustível, em busca de ajuda. A tensão surge quando Kirk (William Vail) e Pam (Teri McMinn) se separam do grupo e tropeçam em uma casa isolada, onde esperam negociar alguns de seus pertences em troca de ajuda. Quando Kirk entra na casa sem convite, a cena se transforma em um pesadelo.

A Impactante Aparição de Leatherface

Leatherface faz sua primeira aparição de maneira brusca e inesperada. Quando Kirk entra pela porta, depara-se com uma sala aterrorizante, com paredes vermelhas decoradas com cabeças de animais taxidermizadas e o som de um porco chiando ao fundo. Surpreendentemente, Leatherface surge, acertando Kirk na cabeça com uma marreta.

O aspecto assustador e eficaz desta cena se dá por sua súbita execução – não há uma trilha sonora anunciando a chegada do susto, apenas o silêncio, interrompido pelo chiado do porco e pelo som da marreta atingindo a vítima. A cena é breve, mas estabelece o tom para o restante do filme, anunciando que este não é um típico slasher.

“O Massacre da Serra Elétrica”: Menos é Mais

Há muitas cenas em “O Massacre da Serra Elétrica” que podem ser classificadas como as mais aterrorizantes. Entretanto, a primeira aparição de Leatherface se destaca por sua sutil e surpreendente execução. A ausência de música e efeitos especiais confere uma atmosfera de calma à cena, fazendo com que a violência repentina e brutal seja ainda mais chocante.

O filme, com sua estética granulada e decadente, parece ter sido rodado em filme antigo, o que contribui para seu estilo geral e atmosfera isolada. Não precisou de baldes de sangue para atingir seu objetivo e não contou com jump scares para acelerar o pulso do público. Além disso, muito da ação ocorre durante o dia, quebrando a ideia de segurança normalmente associada a esta parte do dia em filmes de terror.

Por fim, vale ressaltar que o filme está disponível para alugar na Apple TV, Amazon Prime Video, Google Play Filmes e TV, e no YouTube.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Magui Schneider

Magui Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.

Fã de filmes e séries investigativos, suspense psicológico, comédias, dramas e ação.

Minhas séries favoritas são La Casa de Papel, The Sinner, Sense8, Stranger Things, O Mundo Sombrio de Sabrina, Black Mirror, Lúcifer, Orange Is The New Black, Vis a Vis, Desejo Sombrio, Três Vidas, entre outras.

Já meus filmes favoritos são Jurassik Park, Bird Box, O Limite da Traição, Imperdoável, entre outros.
Amo os filmes de ação com The Rock.

Para relaxar, gosto de uma boa comédia pastelão, incluindo As Branquelas e Os Farofeiros. E como fã incondicional de Paulo Gustavo, sou muito fã de todos os filmes "Minha Mãe é uma Peça".