Avatar 2: Como James Cameron criou aquele mundo subaquático

Diretor elevou o nível entre efeitos práticos e computação gráfica mais uma vez

0

Mais do que o fenômeno de bilheteria, James Cameron deixou uma marca após a estreia de Avatar 2. Os visuais do novo filme impressionaram a todos, com biodiversidade e densidade para as principais camadas do ambiente. Isso porque Pandora já conquistou o público em Avatar (2009). Mas o que James Cameron e companhia fizeram em O Caminho da Água elevou as condições de efeitos práticos e de computação gráfica para outro patamar.

Com Avatar 2, a franquia voltou aos cinemas treze anos após o primeiro filme, de 2009, até hoje com a principal bilheteria da história do cinema. Em suma, a trama mostra que Jake Sully (Worthington) e a família de Neytiri (Saldaña) precisam deixar a selva de Pandora para viajar pelos oceanos do planeta.

Em entrevista ao The Hollywood Reporter, Dylan Cole e Ben Procter, designers do filme, explicaram alguns pontos em relação à criação do mundo de Avatar 2. Desde as referências até a construção, eles pensaram sempre em conjunto para desenvolver uma Pandora ainda mais única.

+ Quer ganhar um teste grátis de 1 mês no UOL PLAY? Clique Aqui e aproveite!

Como James Cameron criou um mundo subaquático em Avatar 2?

Sob a direção de James Cameron, Avatar 2 introduziu novos ambientes para Pandora. Boa parte do filme acontece na vila Metkayina, um arquipélago que abriga outra espécie de nativos do povo Na’Vi. Para criar o local, Cole explicou que toda a equipe passou por um processo de referência aos povos e às culturas indígenas.

O principal foi descobrir como isso é projetado. E como você está reforçando a história? Algo muito importante para os Na’vi é a conectividade, então era muito importante para Jim e para nós que esta aldeia estivesse conectada“, disse ele.

Ao mesmo tempo, muito dos eventos de Avatar 2 conduzem narrativas submersas. Construir o universo subaquático da franquia era um desafio. Isso porque, de acordo com a entrevista do THR, James Cameron queria aplicar um nível de densidade de vida que não existe no planeta Terra desde a pré-história. Conforme Cole, a equipe precisou projetar pelo menos 10 a 20 vezes mais espécies de vida marinha do que o que existe na Terra.

Portanto, a construção de Pandora em Avatar 2 exigiu muitos conceitos que precisaram de tempo, estudo e referências. Mais uma vez, James Cameron mostrou todos os detalhes que achou serem necessários para criar algo único e imersivo aos cinemas. Algo que funcionou, uma vez que a sequência recebeu quatro indicações ao Oscar 2023.

Por fim, o filme concorre nas categorias Melhor Filme, Melhores Efeitos Visuais, Melhor Direção de Arte e Melhor Som. Avatar 2 ainda está em exibição em algumas salas de cinema pelo Brasil. A produção deve chegar ao Disney+ ainda no primeiro semestre de 2023. Abaixo, assista ao trailer oficial.

Trailer oficial

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Você pode cancelar, se desejar. Aceitar