ken-brinco

A verdade por trás da descontinuação do boneco Ken com brinco pela Mattel

Em 1993, a Mattel criou um Ken com brinco, na tentativa de popularizar mais o companheiro da Barbie, ideia que não deu muito certo. O fato apareceu no mais recente filme Barbie, de Greta Gerwig, e aqui vamos explicar a verdadeira razão por trás da descontinuação do boneco.

A Barbie era um tremendo sucesso no começo dos anos 90, mas seu namorado nem tanto. Com menos roupas e aventuras que a companheira, e competindo com bonecos modernos, as perspectivas de Ken não estavam nada boas.

Contudo, o Ken de brinco chocou a sociedade da época. A versão remodelada de Ken surgiu com uma vestimenta ousada e um grande anel prateado em volta do pescoço. O que poucos sabiam, é que o novo Ken, apelidado de Earring Magic Ken, tinha sido influenciado por ideias coletadas de crianças que associavam “ser legal” ao que viam na então recente MTV.

Ken de brinco foi estereotipado como gay

As crianças de cinco anos entrevistadas pela Mattel não eram exatamente versadas no entendimento profundo de tendências sociais, normas de gênero e o clima cultural geral. Assim, a empresa inadvertidamente acabou criando um Ken que incorporava certos estereótipos gay, especialmente os vigentes nos anos 90.

O escritor e jornalista gay Dan Savage, em uma coluna de 1993, explicou que o anel, que era na verdade um item erótico – tinha se tornado um símbolo de moda na comunidade queer dos anos 80 e 90. Muitas pessoas o usavam ao redor do pescoço, como fez o boneco Ken.

Porém, é importante frisar que as crianças consultadas pela Mattel certamente não sugeriram a incorporação de um anel peniano no figurino do Ken. É provável que os adultos que projetaram a boneca tenham visto a tendência fora de contexto e não se aprofundaram no seu significado. A Mattel sempre negou que a boneca tivesse qualquer relação com a homossexualidade.

Cultura queer

A década de 90 foi um período em que a cultura queer começava a florescer de maneira mais aberta, ainda convivendo com o horror da crise da AIDS. A cultura queer e a cultura pop estavam começando a se misturar de uma maneira que nunca haviam feito antes. O Earring Magic Ken é um exemplo do que acontece quando se presta atenção no “o quê” das tendências e não no “porquê”.

A Mattel, que nunca ficou satisfeita com essa associação, apressou-se em descontinuar as bonecas. Contudo, a história se espalhou mais rápido do que eles, e as vendas da boneca dispararam, fazendo dele o Ken mais vendido de todos os tempos. Alguns até afirmam que é o modelo de Barbie mais vendido de todos os tempos, mas a Mattel não confirma esses dados.

Por que o Ken com brinco foi descontinuado pela Mattel?

Em conclusão, a descontinuação do Ken com brinco pela Mattel ocorreu por conta de uma inesperada associação do boneco com a cultura queer, algo que a empresa não havia previsto em seu projeto. Este episódio serve como um lembrete da importância de compreender a origem e o contexto das tendências culturais ao tentar incorporá-las em produtos, evitando assim mal-entendidos e controvérsias.

Ainda assim, de maneira involuntária, a Mattel acabou por criar um símbolo inadvertido da cultura queer, garantindo a Earring Magic Ken um pequeno, mas marcante, lugar na história.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Priscilla Kinast

Priscilla Kinast

Priscilla é redatora de web sites há cerca de 8 anos, tendo ao todo 15 anos de experiência com produção de conteúdo para a internet. Graduada em Administração de Empresas (Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre), encontrou sua verdadeira paixão na administração de websites. Devido sua experiência com redação de conteúdo, obteve registro profissional como jornalista pelo Ministério do Trabalho (Registro Profissional: 0020361/RS).

Apaixonada por séries e filmes de ficção científica, suspense psicológico, dramas e comédias.
As séries favoritas são Sense8, Black Mirror, Orphan Black e The 100. E para além das ficções, gosto também de Orange Is The New Black, How I Met You Mother, Grey's Anatomy, Breaking Bad, Anne with an E, entre outras.
Já no que se trata de filmes, os melhores em sua opinião são Interestellar, Efeito Borboleta, Matrix, A Ilha do Medo, Projeto Almanaque, Onde Está Segunda, Eu Sou a Lenda, etc.