loki

A Nova Habilidade de Loki e a Escolha que o Define

O penúltimo episódio da 2ª temporada de Loki introduziu uma nova superpotência ao Deus da Trapaça, interpretado por Tom Hiddleston. Em suma, esse poder pode ser o mais valioso do Universo Cinematográfico da Marvel até o momento. No entanto, apesar dessa nova habilidade que lhe dá um controle sem precedentes sobre a linha do tempo do MCU, é improvável que Loki a use para desfazer a parte mais trágica de sua história no MCU. Vamos explorar por que essa escolha é consistente com o desenvolvimento do personagem e o arco narrativo que a série construiu.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? Clique Aqui e aproveite!

A Jornada de Aceitação de Responsabilidade

Ao longo das duas temporadas de Loki, vemos o irmão adotivo de Thor enfrentando as consequências de seus próprios atos e, posteriormente, buscando repará-los. Na 2ª temporada, o foco se desloca um pouco para Sylvie, que precisa aceitar que seu assassinato de Aquele que Permanece no final da 1ª temporada pode ter sido desastroso para toda a existência.

Enquanto isso, Loki finalmente adquire a capacidade de escrever sua própria história. Apesar do poder que isso lhe confere, a série inteligentemente inclui uma salvaguarda contra o potencial abuso dessa nova habilidade de viajar no tempo.

A Nova Habilidade de Loki e suas Implicações

A nova habilidade de Loki de deslocamento temporal é uma das mudanças mais significativas na história do MCU. Ter controle sobre o tempo é uma das habilidades mais poderosas em qualquer história de super-herói. E a capacidade de Loki não tem as mesmas limitações que as regras de viagem no tempo do MCU estabeleceram anteriormente.

Em Vingadores: Ultimato, os heróis estabelecem cuidadosamente que viajar para o passado não pode afetar o futuro, criando em vez disso linhas do tempo alternativas. No entanto, Loki quebra essa regra na 2ª temporada, mostrando-o alterando eventos passados em tempo real. Além disso, ele afeta sua própria linha do tempo sem criar uma variante ou uma nova linha.

Teoricamente, Loki poderia voltar no tempo até o momento de sua própria morte em Vingadores: Ultimato e impedir Thanos de estrangulá-lo. Isso poderia desfazer todos os eventos da Saga do Infinito, evitando que ele se aliasse a Thanos em primeiro lugar.

Porém, há um problema com isso: se Loki pudesse afetar o futuro alterando o passado, ele desfaria sua própria criação como uma variante durante Vingadores: Ultimato. Além disso, mesmo que aceitemos que as superpotências de Loki lhe permitiriam fazer o que quisesse, narrativamente, isso não faria sentido.

A Visão do Roteirista sobre a Possibilidade de Loki Mudar o Passado

Em uma entrevista exclusiva com o roteirista chefe de Loki, Eric Martin, Screen Rant questionou se Loki poderia voltar no tempo para desfazer eventos de seu próprio passado. De maneira enigmática, Martin optou por provocar os eventos do final de Loki. Além disso, deixou em aberto a possibilidade de que Loki ainda possa usar sua habilidade de viajar no tempo após evitar a destruição do Tear Temporal.

Loki encontrou o que Realmente Importa

A mensagem central de Loki já torna improvável a ideia de ele usar seu novo poder de viajar no tempo para desfazer sua morte em Vingadores: Ultimato. Ele já aceitou que suas ações precisam ir além de suas ambições e desejos egoístas. E o principal: comprendeu que suas escolhas podem ter um impacto ameaçador no multiverso. Voltar no tempo para desfazer sua morte seria uma traição a esse crescimento e evolução do personagem.

Além disso, o 5º episódio da 2ª temporada de Loki introduz uma reviravolta narrativa que está em gestação há 12 anos e que seria uma traição ainda maior. Ao confrontar Sylvie sobre sua motivação para salvar a TVA e o multiverso, Loki finalmente admite que ainda existe um elemento de egoísmo em seu plano.

Embora seja impulsionado pelo altruísmo e pela vontade de evitar o iminente desastre da Guerra Multiversal de Kang (que ele falhará em fazer), a verdadeira motivação de Loki é sua nova família. Ao reunir seu “bando de perdedores”, Loki está, na verdade, unindo-os por si mesmo. Eles podem não ter impacto na salvação da TVA, mas permitiram a Loki ter sua epifania, revelando o que ele realmente luta para proteger.

Desfazer sua própria morte significaria perder o que ele agora mais valoriza e pelo que deseja viver. Loki finalmente encontrou seu lugar ao lado de seus amigos, uma família formada por aqueles que compartilham suas dores e traumas. Salvar a si mesmo em Vingadores: Ultimato seria anular a possibilidade de ter esse final feliz ao lado de seus amigos. Loki não faria isso consigo mesmo, e é por isso que a segunda temporada de Loki está fadada a seguir um caminho diferente.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Magui Schneider

Magui Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.

Fã de filmes e séries investigativos, suspense psicológico, comédias, dramas e ação.

Minhas séries favoritas são La Casa de Papel, The Sinner, Sense8, Stranger Things, O Mundo Sombrio de Sabrina, Black Mirror, Lúcifer, Orange Is The New Black, Vis a Vis, Desejo Sombrio, Três Vidas, entre outras.

Já meus filmes favoritos são Jurassik Park, Bird Box, O Limite da Traição, Imperdoável, entre outros.
Amo os filmes de ação com The Rock.

Para relaxar, gosto de uma boa comédia pastelão, incluindo As Branquelas e Os Farofeiros. E como fã incondicional de Paulo Gustavo, sou muito fã de todos os filmes "Minha Mãe é uma Peça".