a_guerra_dos-sexos

A Guerra dos Sexos: História Real Por Trás do Filme

O mundo do esporte muitas vezes nos presenteia com histórias inspiradoras de superação, competição e, por vezes, uma revolução social. A Guerra dos Sexos, um filme lançado em 2017, dirigido por Jonathan Dayton e Valerie Faris, nos transporta para um dos momentos mais icônicos da história do tênis e do movimento feminista dos anos 1970.

Mas afinal, o filme A Guerra dos Sexos se baseia em fatos reais? Neste artigo, vamos explorar a verdadeira história por trás do filme e descobrir como a rivalidade entre Billie Jean King e Bobby Riggs se desenrolou nas quadras e na sociedade.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? Clique Aqui e aproveite!

A Guerra dos Sexos: A História por Trás do Filme

a_guerra_dos-sexos
Imagem: Fox Searchlight Pictures | Edição: Minha Série Favorita

O filme mergulha no clima social e esportivo da década de 1970. A trama gira em torno de um desafio de tênis épico entre Billie Jean King, uma das tenistas mais talentosas da época, e Bobby Riggs, um ex-campeão que, aos 55 anos, procurava provar a superioridade masculina nas quadras. O confronto, que aconteceu em 1973, tornou-se uma sensação global, com a imprensa denominando-o “A Batalha dos Sexos”.

A famosa partida entre Billie Jean King e Bobby Riggs foi um evento esportivo de grande magnitude. King, que estava determinada a provar a igualdade das mulheres no esporte, derrotou Riggs em uma partida que atraiu a atenção de mais de 90 mil espectadores no Astrodome, em Houston, e milhões de telespectadores em todo o mundo. O filme retrata de maneira emocionante a intensidade do confronto e as pressões enfrentadas por King, que não apenas lutava nas quadras, mas também contra o machismo arraigado na sociedade.

Os Fatos Reais e o Movimento Feminista

O filme A Guerra dos Sexos é baseado em fatos reais, e a partida em si ocorreu como retratado na tela. No entanto, a história vai além do tênis, servindo como um marco importante na luta pela igualdade de gênero e no movimento feminista. A vitória de Billie Jean King não apenas solidificou sua posição como uma das maiores tenistas de todos os tempos, mas também impulsionou o reconhecimento das mulheres no esporte e na sociedade em geral.

A batalha de tênis de 1973 teve um impacto duradouro, e Billie Jean King tornou-se uma defensora apaixonada da igualdade de gênero. Ela co-fundou a Women’s Tennis Association (WTA) e continuou a lutar pelos direitos das mulheres no esporte. O filme captura o espírito e a importância desse evento histórico e destaca o legado de King na promoção da igualdade.

A Guerra dos Sexos é mais do que apenas um filme esportivo. É um mergulho profundo na história real de uma batalha que transcendeu as quadras de tênis e se tornou um símbolo da luta das mulheres por igualdade. O filme se baseia em fatos reais, e a rivalidade entre Billie Jean King e Bobby Riggs é retratada com precisão. No entanto, sua verdadeira importância reside no impacto que teve no movimento feminista e na trajetória de King como uma das principais defensoras da igualdade de gênero no esporte.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.

Magui Schneider

Magui Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.

Fã de filmes e séries investigativos, suspense psicológico, comédias, dramas e ação.

Minhas séries favoritas são La Casa de Papel, The Sinner, Sense8, Stranger Things, O Mundo Sombrio de Sabrina, Black Mirror, Lúcifer, Orange Is The New Black, Vis a Vis, Desejo Sombrio, Três Vidas, entre outras.

Já meus filmes favoritos são Jurassik Park, Bird Box, O Limite da Traição, Imperdoável, entre outros.
Amo os filmes de ação com The Rock.

Para relaxar, gosto de uma boa comédia pastelão, incluindo As Branquelas e Os Farofeiros. E como fã incondicional de Paulo Gustavo, sou muito fã de todos os filmes "Minha Mãe é uma Peça".