- Publicidade -

5 Filmes sobre nazismo que o Monark deveria assistir (antes de falar)

0

Popularmente conhecido como Monark, o influenciador digital Bruno Aiub sofreu as consequências de uma declaração infeliz dada nesta semana, de aparente defesa do nazismo. Afinal, Aiub, um dos apresentadores do Flow Podcast, disse na edição desta segunda-feira, 7, que o nazista brasileiro tinha que ter um partido nazista reconhecido pela lei. Talvez, Monark não falasse tamanha bobagem (que você confere abaixo) se assistisse aos 5 filmes sobre nazismo que indicamos neste post.

- Publicidade -

Enfim, expressado durante bate-papo com os deputados federais Kim Kataguiri (Dem) e Tabata Amaral (PSB), o posicionamento foi amplamente criticado e condenado, sobretudo por organizações judaicas. Acompanhe:

A esquerda radical tem muito mais espaço do que a direita radical, na minha opinião. As duas tinham que ter espaço. Eu sou mais louco que todos vocês. Eu acho que o nazista tinha que ter o partido nazista reconhecido pela lei”.

LEIA TAMBÉM

Ademais, a fala polêmica foi imediatamente refutada pela parlamentar de esquerda. Isso porque, mostrando sobriedade e domínio de causa, Tabata alegou que a liberdade de expressão termina quando a expressão de um coloca em risco a vida do outro. “O nazismo é contra a população judaica e isso coloca uma população inteira em risco“, acrescentou.

Além da ofensa à memória de milhões de judeus vítimas do holocausto, a opinião “garantiu” ao influenciador a perda de patrocinadores e a maculação definitiva de sua imagem. Isso porque a sua imagem já havia sofrido um arranhão em 2021, quando Monark publicou no Twitter um post inquirindo se ter opinião racista é crime.

Por fim, o desgaste promovido pela rejeição à fala foi tão intenso e massivo que Monark também acabou desligado do Flow Podcast, empreendimento do qual era sócio-proprietário. Ademais, ele será ressarcido por Igor Coelho, que se torna o único dono do estúdio de gravações.

- Publicidade -

Entretanto, o motivo do desligamento ainda não está claro. Mas, infere-se que o movimento nada mais é do que uma tentativa de ambos os sócios salvarem a empresa. Assim, descolando-a do nome de alguém “simpático” à ideologia política de extrema direita alemã.

Retratação de Monark

Antes de mais nada, arrependido, o influenciador tentou se retratar. Por meio de um vídeo de oito minutos que publicou em suas redes sociais, Bruno Aiub, o Monark, argumentou que sua fala foi tirada de contexto. Além disso, assegurou considerar o nazismo abominável.

Segundo o youtuber, a ideia de sua declaração não foi a defesa do nazismo em si. O que ele argumenta é que, com o aval da lei, os simpaticos à ideologia de Adolf Hitler não precisariam mais se esconder. Desse modo, o restante da sociedade, segundo ele, poderia decidir o que fazer com essas pessoas.

“…Saber quem é idiota para que a gente possa ou educar essa pessoa, se for possível afastar essa pessoa e, se ela estiver cometendo um crime, punir essa pessoa. É muito mais fácil descobrir quem ela é se a gente deixa ela falar.”

Por fim, Monark ainda encontrou espaço para se vitimizar e condenar o que qualificou como “cultura do cancelamento.”

5 Filmes sobre nazismo que o Monark deveria assistir (antes de falar)

- Publicidade -

E já que esse capítulo tão triste e desagradável do livro da história humana veio à tona, a redação MSF decidiu sugerir alguns excelentes filmes sobre nazismo.

Além de excelente entretenimento, os filmes sobre nazismo são educativos e esclarecedores. Podem, quiçá, ser úteis para o próprio Monark entender de uma vez por todas o tamanho da pisada na bola que deu.

1. A Queda – As Últimas horas de Hitler

2004 ‧ Guerra/Drama ‧ 2h 36m

Dirigido por Oliver Hirschbiegel, o longa de 156 minutos de duração pode ser assistido na plataforma da Amazon Prime Vídeo. Segundo o consenso crítico do website norte-americano Rotten Tomatoes, o drama “é um relato esclarecedor, pensativo e detalhado dos últimos dias de Hitler e sobre o nazismo.” Lançado em 2004, o título recebeu comentários favoráveis de 90% dos 141 críticos profissionais que o avaliaram.

2. O Menino do Pijama Listrado

2008 ‧ Guerra/Drama ‧ 1h 34m

- Publicidade -

Dirigido por Mark Herman, o longa de 90 minutos de duração é uma atração dos catálogos da GloboPlay e Telecine. Definido pelo Consenso Crítico do Rotten Tomatoes como “um filme familiar tocante e assombroso”, a produção, além de falar sobre o nazismo, lida com o Holocausto de uma maneira surpreendente e incomum. Também traz um golpe final brutal de reviravolta. Lançado em 2008, o título recebeu comentários favoráveis de 64% dos 143 críticos profissionais que o avaliaram.

3. Olga

2004 ‧ Romance/Guerra ‧ 2h 21m

Dirigido por Jayme Monjardim, o longa de 141 minutos de duração pode ser assistido pelo GloboPlay. Sucesso de público e arrecadação em 2004, o longa nacional acompanha a saga da militante comunista brasileira Olga Benário na época do nazismo. A esposa de Luis Carlos Prestes acabou morta pelas câmaras de gás de um campo de concentração nazista logo após ter sido deportada pelo governo de Getúlio Vargas. No site IMDb, a media do filme é 6,6 de 10 estrelas possíveis.

4. A Menina que Roubava Livros

2013 ‧ Guerra/Drama ‧ 2h 11m

Dirigido por Brian Percival, o longa de 131 minutos de duração é atração do catálogo da Star+. Enfim, o filme acompanha a saga de uma jovem que sobrevive ao nazismo fora de Munique, durante a Segunda Guerra Mundial, por meio dos livros que ela rouba. Além disso, a trama revela que Liesel Meminger aprende a ler e a partilhar esses livros com os amigos, entre eles um judeu que mora clandestinamente em sua casa. Lançado em 2013, o drama recebeu comentarios favoráveis de 48% dos 150 críticos profissionais que o avaliaram. O dado é do website norte-americano Rotten Tomatoes.

- Publicidade -

5. A Lista de Schindler

1993 ‧ Guerra/Drama ‧ 3h 15m

Dirgido por Steven Spielberg, o longa-metragem de 195 minutos de duração pode ser assistido, mediante aluguel, pela plataforma da Prime Video. Segundo o consenso crítico do Rotten Tomatoes, A Lista de Schindler combina o horror abjeto do Holocausto com o terno humanismo característico de Steven Spielberg, criando, assim, a obra-prima dramática sobre o nazismo do cineasta. Ainda de acordo com o website norte-americano, o título agradou a 98% dos 127 criticos profissionais que o avaliaram.

E você, o que achou dos filmes sobre Nazismo?

Então, siga a gente no Google News para receber nossas notícias. Além disso, convidamos você a nos seguir nas redes sociais TwitterInstagram e Facebook para ficar por dentro de tudo que rola no mundo das séries e filmes.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Você pode cancelar, se desejar. Aceitar